Comece hoje, comece aqui!!

Você se inscreveu com sucesso!

Como resolver as suas questões parentais e ter uma vida pessoal e familiar mais tranquila e feliz.

Ser um bom pai, ou uma boa mãe, nem sempre é fácil.

Ok, a maioria das vezes não o é. Surgem as dúvidas, os medos, questões pertinentes, as preocupações e os sentimentos que se colocam pelo meio e paralisam, que trazem a sensação de que as coisas estão fora de controlo ou, pelo menos, de que não se sabe ao certo o que se pode e deve, ou não, fazer em determinada situação.

Escolha a opção que lhe fizer mais sentido, tendo a certeza de que em conjunto tudo parecerá mais fácil pois terá alguém do seu lado que o/a ajudará a olhar para a situação com maior clareza para que seja capaz de encontrar o que procura e precisa para ter a tal vida tranquila e feliz, quer seja por se ajudar a si mesmo/a e/ou por ajudar os seus filhos.

Aconselhamento parental

Sessão: 60 a 90 minutos | Frequência: de acordo com as necessidades

Durante 60 ou 90 minutos, consoante a sua necessidade, poderá utilizar o seu tempo para colocar questões, falar sobre o que sente e/ou o que pensa, reflectir sobre a sua situação e perceber que passos dar para saber lidar com o que está a acontecer.

E o melhor de tudo é saber que não está sozinho/a. Em todos os momentos, eu estarei do seu lado e em conjunto podemos tornar tudo mais fácil e exequível.

Quer seja apenas para se conhecer melhor enquanto pai/mãe, para resolver uma situação que lhe esteja a tornar a vida difícil ou insuportável, ou para ajudar os seus filhos a lidar com algo, o aconselhamento parental é a resposta.
Algumas das questões mais comuns e que levam os pais a procurar ajuda nas sessões de aconselhamento parental são:

Birras (porque acontecem e como lidar com elas)

Sono (como ensinar o/a meu/minha filho/a a dormir na cama dele/a)

Alimentação (como ajudar o/a meu/minha filho/a a deixar de ter maus hábitos alimentares)

Divórcio (como educar o/a meu/minha filho/a quando o/a meu/minha ex-companheiro/a não tem as mesmas ideias do eu)

Comportamentos de risco (acho que o/a meu/minha filho/a anda com más companhias)

 

Mesmo que não se reveja em nenhum destas situações mas a sua questão tem um (ou vários) destes elementos: mãe, pai, avô, avó, bebé, criança ou adolescente, o aconselhamento parental continua a ser pertinente.

Se procura e/ou sente que precisa de algo diferente, envie um email para info@catiarsantos.pt

error: Content is protected !!